AVALIAÇÃO DO ESTADO NUTRICIONAL DE CRIANÇAS ENTRE 0 A 05 ANOS NO ESTADO DO ACRE ATRAVÉS DO SISVAN WEB NO ANO DE 2015.

Ruth Silva Lima da Costa

Resumo


Introdução:  A obesidade infantil é um sério problema de saúde pública e resulta de uma falha do sistema de autorregulação do corpo na modulação de influências ambientais em relação às propensões genéticas individuais que ocasionam sérios problemas de saúde pública dentre elas, estão as doenças cardiovasculares que hoje configuram-se como as principais causas de morbimortalidade em todo o mundo. Objetivo: Avaliar o estado nutricional de crianças entre 0 a 05 anos no estado do Acre através do SISVAN Web no ano de 20­15. Método: Trata-se de um estudo transversal, desenvolvido a partir de banco de dados secundários do Sistema de Vigilância alimentar e nutricional do Ministério da Saúde (SISVAN Web). A amostra constituiu-se de crianças entre zero a cinco anos, residentes no estado do Acre, cadastradas no SISVAN no ano de 2015. Resultados: O total de crianças cadastradas foi de 10.314 das quais 5.522 (18,4%) foram avaliadas como risco de sobrepeso, 2.511 (8,4%) com sobrepeso, e 2.177 (7,2%) classificadas com obesidade. A prevalência de crianças com risco de sobrepeso, sobrepeso e obesidade foi maior no sexo masculino, atingindo um percentual de 2.971 (53%) com risco de sobrepeso, 1.300 (52%) com sobrepeso e 1.203 (55%) no quadro de obesidade, respectivamente. Na avaliação por raça a maior prevalência foi de crianças indígenas com um total de 1.129 sendo que destas, 679(29,23%) apresentaram risco de sobrepeso, 284 (12,23%) estavam sobrepeso e 166 crianças (7,15%) encontravam-se obesas. Considerações Finais: O risco de sobrepeso, o sobrepeso e a obesidade encontram-se acentuados entre crianças de 0 a 05 anos no estado do Acre cadastradas no SISVAN Web, sendo este mais evidente no sexo masculino, apresentando também um valor significativo em crianças indígenas e em crianças residentes em municípios de difícil acesso.

Palavras-chave: Risco; Obesidade Infantil; Sobrepeso.


Texto completo:

PDF

Referências


REFERÊNCIAS

CARVALHO, E. et al. Obesidade: Aspectos epidemiológicos e prevenção. Ver Med Minas Gerais. Belo Horizonte, v. 23, n. 1, 2013.

MELLO, E. et al. Obesidade infantil: como podemos ser eficazes? Jornal de Pediatria. Porto Alegre, v. 80, n. 3, 2004.

FAGUNDES, A. A. et al. Vigilância alimentar e nutricional- SISVAN: Orientações básicas para a coleta, processamento, análise de dados e informação em serviços de saúde. Brasília (DF), Ministério da Saúde, 2004.

BALABAN, G.; SILVA, G. Efeito protetor do aleitamento materno contra a obesidade infantil. Jornal de Pediatria. Pernambuco, v. 80, n 1, 2004.

MATOS, J. et al. Atuação do enfermeiro na prevenção da obesidade infantil em uma capital do Nordeste. Revista Eletrônica Gestão & Saúde. Brasília, 2015. v. 6, n. 3.

BRASIL. Sistema de Vigilância Alimentar Nutricional (SISVAN). Disponível em: . Acesso em 09 fev. 2017.

NETTO-OLIVEIRA, E. R. et al. Sobrepeso e obesidade em crianças de diferentes níveis econômicos. Rev. Bras Cineantropom Desempenho Hum. v. 12, n. 2, 2010.

ABESO. Diretrizes brasileiras de obesidade: Associação Brasileira para o Estudo da Obesidade e da Síndrome Metabólica: Diretrizes brasileiras de obesidade 2009/2010, 3.ed. Itapevi, SP, AC Farmacêutica, 2009.

AIRES et al. Consumo de alimentos industrializados em pré-escolares. Revista da AMRIGS, Porto Alegre, 55 (4): 350-355, out.-dez. 2011.

IBGE, Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Infográficos: dados gerais do município. 2016. Acesso 10 maio 2017.

HONÓRIO, R. F.; HADLER, M. C. C. M. Prevalência de obesidade e sobrepeso em crianças do programa saúde na escola de Goiânia-GO. 2011.

LEITE, F. R. M.; NAVARRO, A. C. Prevalência de sobrepeso e obesidade em crianças e adolescentes frequentadores de um programa sócio-educativo de uma ong na zona oeste de São Paulo. Revista Brasileira de Obesidade, Nutrição e Emagrecimento. São Paulo, 2011, v.5, n.26, p.80-89.

ABRANTES, M. M.; LAMOUNIER, J. A.; COLOSIMO, E. A. Prevalência de sobrepeso e obesidade em crianças e adolescentes das regiões Sudeste e Nordeste. J Pediatr. Rio J v. 78, n. 4, 2002.

CESAR, D. J.; OLIVEIRA, A. L. P. de; AGUDELO, E. A. B. Prevalência da obesidade e sobrepeso em escolares do ensino fundamental 1 de uma escola particular na cidade de Rio Branco, Acre. 2014. Colégio de Aplicação da Universidade Federal do Acre.v. 1, n. 1, 2014.

ALMEIDA, Alice Carvalho Gouveia de. et al. Relação do estilo de vida com o sobrepeso e a obesidade em crianças em fase escolar entre 6 e 10 anos de idade, no Bairro Prado da cidade de Paracatu-MG. 2011. Disponível em: Acesso em 20 maio 2017.

RIBAS, D. L. B. et al. Nutrição e saúde infantil em uma comunidade indígena Teréna, Mato Grosso do Sul, Brasil. Cad. Saúde Pública. Rio de Janeiro, v. 17, n. 2, 2001.

FREITAS, D. A. et al. Sobrepeso e obesidade entre crianças indígenas e não indígenas. Rev enferm UFPE on line. Recife v. 8, n.6, 2014.

SOUSA, K. L.; ALVES, C. de A. Diagnóstico nutricional de crianças e adultos indígenas atendidos pela rede pública de saúde no Brasil: um estudo exploratório. Revista de Ciências Médicas e Biológicas. Salvador, BA, v. 12, n. 4, 2013.

SALDIVA, S. R. D. M.; SILVA, L. F. F.; SALDIVA, P. H. N. Avaliação antropométrica e consumo alimentar em crianças menores de cinco anos residentes em um município da região do semiárido nordestino com cobertura parcial do programa bolsa família. Revista de Nutrição. São Paulo, v.23, n.2, 2010.

PANTOJA, L. de N. Estado nutricional de crianças indígenas menores de cinco anos do DSEI Yanomami, Roraima, Brasil. 2012.

COIMBRA et al. Epidemiologia e saúde dos povos indígenas no Brasil. Rio de Janeiro: Editora FIOCRUZ; Rio de Janeiro: ABRASCO, 2005.

FAVARO, T. R. et al. Obesidade e excesso de peso em adultos indígenas Xukuru do Ororubá, Pernambuco, Brasil: magnitude, fatores socioeconômicos e demográficos associados. Cad. Saúde Pública [online]. 2015, vol.31, n.8.

SOUZA, K. L. P. do C. R.; ALVES, C. de A. D. Diagnóstico nutricional de crianças e adultos indígenas atendidos pela rede pública de saúde no Brasil: um estudo exploratório.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Associado à ABEC