SITUAÇÃO DOS ADOLESCENTES EM PRIVAÇÃO DE LIBERDADE

Jair Alves Maia

Resumo


Introdução: No Brasil tornou-se crescente o número de adolescentes privados de liberdade, por cometerem atos infracionais das mais variadas espécies e gravidade, e com isso, a demanda por saúde dentro do Sistema Socioeducativo cada vez mais é necessário. Objetivo: O presente estudo tem o objetivo de descrever a situação dos adolescentes que vivem em privação de liberdade no Estado do Acre. Método: A metodologia utilizada foi uma revisão de literatura, onde foram selecionados artigos científicos relevantes sobre o tema e documentos oficiais publicados por órgãos competentes. Resultados: a Adolescência brasileira está perdendo a melhor parte da vida para o encarceramento, uma vez que o Sistema Socioeducativo – SINASE, não tem alcançado a eficácia necessária, que é a ressocialização. Conclusão: A saúde no sistema socioeducativo, encontra-se deficiente e vem sendo prestada na maioria dos casos em desacordo com a Política Nacional de Atenção Integral à Saúde do Adolescente em Regime de Internação e Internação Provisória – PNAISARI.

Palavras-Chave: Adolescência; Políticas Públicas; Saúde do adolescente.


Texto completo:

PDF

Referências


REFERÊNCIAS

BRASIL. Casa Civil. Lei nº 12.594. Planalto, p.10-15. Brasília, 2012.

______. Ministério da Saúde (MS). Portaria nº 1.083. Ministério da Saúde, Nº 02. Brasília, 2014.

______. Ministério da Justiça. Estatuto da Criança e Adolescente. Planalto, Nº 12. Brasília, 1990.

GIL, A. C. Métodos e técnicas de pesquisa social. 6ª ed. Editora Atlas, São Paulo (SP), 2009.

BRASIL. Ministério dos Direitos Humanos. Secretaria Nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente. Levantamento anual sinase 2014. Brasília: Secretaria Nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente do Ministério dos Direitos Humanos, 2017.

BRASIL, Ministério da Saúde (MS). Portaria nº 973., Nº 05. Brasília, 2014.

FREITAS, A. R. de B.; GRACIANO, A. de F.; SCHMITT, F. L. Medidas Socioeducativas: Um Avanço na Política de Atendimento ao Adolescente Autor de Ato Infracional. São Paulo, 2014.

BRASIL. Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República. Plano nacional de atendimento socioeducativo. Brasília, 2013.

BRASIL. Ministério da Saúde. Plano nacional de saúde no sistema penitenciário. 2 ed., Brasília (MS), 2005. Disponível em: http://www.webartigos.com/artigos/sistema-prisional/4242. Acesso em: 05 ago. 2017.

MIRABETE, J. F. Execução penal: comentários a lei nº 7.210, de 11 jul. 1984. 11 ed. rev. e atualizada até 31 março de 2004. São Paulo: Atlas, 2004.

ZAPPE, J. G. et al. A internação de adolescentes em conflito com a Lei: uma reflexão teórica sobre o sistema socioeducativo brasileiro. Rev. Bras. Adolescência e Conflitualidade, 2011. p. 112-133.

BRASIL. Ministério da Saúde. Portaria Interministerial MS/MJ n 1.777, de 9 de setembro de 2003. Aprova o Plano Nacional de Saúde no Sistema Penitenciário. Diário Oficial da União, Brasília, 11 set. 2003.

LEAL, C. B.; GUERREIRO, H. V. Relatório do Conselho Nacional de Política Criminal e Penitenciária. Visita de inspeção feita a nos Estados do Amapá, Amazonas e Roraima. 2002.

BRASIL. Casa Civil. Lei nº 12.594. Planalto, p.10-15. Brasília, jan. 2012.

______. Ministério da Saúde. Normas e Reflexões da Política Nacional de Atenção Integral a Saúde do Adolescente em Conflito com a Lei. Brasília, 2012.

______. Ministério da Saúde Portaria Interministerial nº 1426., Nº 03. Brasília, 2004.

______. Constituição Federal de 1988. Planalto, p. 117-120, Brasília, 1988.

ESTEVAM, I.D. et al. Os desafios da prática socioeducativa de privação de liberdade em adolescentes em conflito com a lei: Ressocialização ou exclusão social? V. Nº 65. Porto Alegre, 2009.

BRASIL. Ministério da Justiça. Conceituação e classificação de estabelecimentos penais. Brasília, 2010 Disponível em: http://portal.mj.gov.br/main.asp?View=%7BD574E9CE-2895- Acesso em: 05 ago. 2017.

______. Ministério da Justiça. Sistema integrado de informações penitenciárias. Brasília, 2014. Disponível em: http://portal.mj.gov.br/main.asp? Acesso em: 05 ago. 2017.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Associado à ABEC