OSTEÍTE PÚBICA NO ESPORTE: UMA REVISÃO SISTEMATIZADA

Patricia Merly Martinelli

Resumo


Introdução: A Osteíte púbica (OP) é definida como uma dor na região da virilha que ocorre pela sobrecarga da musculatura ou trauma de impacto, sendo observada com maior frequência nos atletas em relação aos outros acometimentos osteoarticulares, afeta de 2% a 7% dos desportistas de alto nível em diversas. Objetivos: verificar a frequência do acometimento de osteíte púbica em atletas, além do diagnóstico precoce acertado. Método: Para elaboração do presente artigo científico realizou-se uma revisão sistematizada, com estudos obtidos no período de janeiro a março de 2017, na base de dados Medline, com o buscador Pubmed Advance, os critérios de inclusão foram: estudos transversais e randomizados sem limite de data para publicação com o foco em lesões desportivas na sínfise púbica. Resultados: os achados são demonstrados através de uma tabela expressando os objetivos, método e resultados dos artigos incluídos no presente estudo. Considerações finais: É imprescindível um diagnóstico precoce e acertado, através da avaliação da sintomatologia apresentada pelo paciente, assim como a análise dos exames complementares, estes podem apresentar alterações evidentes como edema medular, irregularidades da margem óssea e reabsorção subcondral, osteófitos e esclerose subcondral, achados radiológicos importantes que devem ser considerados mesmo quando os atletas ainda não referem os sinais clínicos desta síndrome para que seu tratamento seja correto e efetivo colaborando com a potencialização desportiva do indivíduo.

Palavras-chave: Osteíte; Púbis; Medicina Esportiva.

Texto completo:

PDF

Referências


ZOGA, A. C. et al. Athletic Pubalgia and the “Sports Hernia”: MR Imaging Findings. Radiology, v. 247, n. 3, p. 797-807, 2008.

MCALEER, S. S. et al. Management of chronic recurrent osteitis pubis/pubic bone stress in a Premier League footballer: Evaluating the evidence base and application of a nine-point management strategy. Physical Therapy in Sport, v. 16, n. 3, p. 285-299, 2015.

CUNNINGHAM, P. M. et al. Patterns Of Bone And Soft-Tissue Injury At The Symphysis Pubis In Soccer Players: Observations At MRI. American Journal of Roentgenology, v. 188, n. 3, p. 291-296, 2007.

REIS, F. A. et al. A importância dos exames de imagem no diagnóstico da pubalgia no atleta. Rev Bras Reumatol, v. 48, n.4, p. 239-242, jul/ago, 2008.

VERRALL, G. M.; SLAVOTINEK, J. P.; FON, G. T. Incidence of pubic bone marrow oedema in Australian rules football players: relation to groin pain. Br J Sports Med. v. 35, n. 1, p. 28-33, 2001.

BRANCO, R. C. et al. Estudo comparativo por ressonância magnética de púbis entre atletas e sedentários assintomáticos. Revista Brasileira de Ortopedia, v. 45, n. 6, p. 596-600, 2010.

FERNANDES, T. L. et al. Lesão muscular: fisiopatologia, diagnóstico, tratamento e apresentação clínica. Revista Brasileira de Ortopedia, v. 46, n. 3, p. 247-255, 2011.

KUNDURACIOGLU, B. et al. Magnetic resonance findings of osteitis pubis. Journal of Magnetic Resonance Imaging, v. 25, n. 3, p. 535-539, 2007.

SOUSA, R. P. A.; VIEIRA, W. H. B. Osteíte púbica no jogador de futebol pubic osteiti in football player. Fisioterapia Especialidades, v. 3, n. 2, p. 47-53, 2008.

MAJOR, N. M.; HELMS, C. A. Pelvic stress injuries: the relationship between

osteitis pubis (symphysis pubis stress injury) and sacroiliac abnormalities in athletes. Skeletal Radiol, v. 26, p. 711-717, 1997.

HARRIS, N. H.; MURRAY, R. O. Lesions of the symphysis in athletes. British medical journal, v. 4, n. 5938, p. 211, 1974.

MUCKLE, D. S. Associated factors in recurrent groin and hamstring injuries. Brit J. Sports Med. - v. 16, n. 1, p. 37-39, 1982.

QUEIROZ, R. D. et al. Retorno ao esporte após tratamento cirúrgico de pubeíte em jogadores de futebol profissional. Revista Brasileira de Ortopedia, v. 49, n. 3, p. 233-239, 2014.

PAULI, S. et al. Osteomyelitis pubis versus osteitis pubis: a case presentation and review of the literature. British journal of sports medicine, v. 36, n. 1, p. 71-73, 2002.

FRICKER, P. A. et al. Osteitis pubis in athletes. Sports Medicine, v. 12, n. 4, p. 266-279, 1991.

LITWIN, D. E. M. et al. Athletic pubalgia (sports hernia). Clinics in sports medicine, v. 30, n. 2, p. 417-434, 2011.

NAM, A.; BRODY, F. Management and therapy for sports hernia.Journal of the American College of surgeons, v. 206, n. 1, p. 154-164, 2008.

AMÂNDIO, J. V.; MACIEL, J. Hérnia do desportista: experiência pessoal. Revista Portuguesa de Cirurgia, n. 10, p. 65-68, 2009.

SILVA, A. B. et al. EMG de superfície como método de avaliação funcional em jogadores de futebol com osteíte púbica. Revista Científica FAEMA, v. 2, n. 1, p. 1-12, 2011.

LLOYD¬SMITH, R.; CLEMENT, D. B.; MCKENZIE, D. C.; TAUNTON, J.E. A survey of overuse and traumatic hip and pelvic injuries in athletics. Phys Sportsmed. v. 18, n. 10, p.131-¬41, 1985.

GRAVA, J. P. S. et al. Patologia do quadril na atividade esportiva. Medicina do Esporte. Rio de Janeiro: Revinter, v. 2202, p. 313-318, 2000.

BRAUN, P., JENSEN, S. Hip pain ­ a focus on the sporting population. Aust Fam Physician. v. 36, n. 6, p. 406-8, 2007.

PO, F. et al. Pubalgia Due to Sport. Italian Journal of Sports Traumatology, v. 11, n. 1, p. 47-55, 1989.

HUREIBI, K. A.; MCLATCHIE, G. R. Groin pain in athletes. Scott Med J. v. 55, n. 2, p.8­11, 2010.

AZEVEDO, D. C.; PIRES, F. O.; CARNEIRO, R. L. A pubalgia no jogador de futebol. Revista Brasileira de medicina do esporte, v. 5, n. 6, p. 233-238, 1999.

LARSON, C. M. et al. Increasing alpha angle is predictive of athletic-related “hip” and “groin” pain in collegiate National Football League prospects. Arthroscopy: The Journal of Arthroscopic & Related Surgery, v. 29, n. 3, p. 405-410, 2013.

PAAJANEN, H.; HERMUNEN, H.; KARONEN, J. Pubic magnetic resonance imaging findings in surgically and conservatively treated athletes with osteitis pubis compared to asymptomatic athletes during heavy training. Am J Sports Med. v. 36, n.1, p.117­21, 2008.

LOVELL, G. et al. Osteitis pubis and assessment of bone marrow edema at the pubic symphysis with MRI in an elite junior male soccer squad. Clinical Journal of Sport Medicine, v. 16, n. 2, p. 117-122, 2006.

WILLIAMS, P. R.; THOMAS, D. P.; DOWNES, E. M. Osteitis pubis and instability of the pubic symphysis when nonoperative measures fail. The American journal of sports medicine, v. 28, n. 3, p. 350-355, 2000.

ZEITOUN, F. et al. Pubalgie du sportif. Ann Radiol (Paris), n. 38, v. 5, p. 244-254, 1995.

SOUSA, J. P. et al. Tratamento cirúrgico da pubalgia em jogadores de futebol profissional. Revista brasileira de ortopedia, v. 40, n. 10, p. 601-607, 2005.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Associado à ABEC