EVOLUÇÃO CLINICA DOS CASOS DE LEISHMANIOSE AMERICANA TEGUMENTAR NO ESTADO DO ACRE NO PERÍODO DE 2007 A 2015

Jair Alves Maia, Luis Fernando Borja Gómez, Felipe Zani Demuner, Amanda Araújo de Oliveira

Resumo


Introdução: A Leishmaniose Tegumentar Americana (LTA) é uma doença zoonótica que afeta humanos e várias espécies de animais selvagens e domésticos, podendo se manifestar por diferentes formas clínicas. É considerada uma doença polimórfica da pele e das mucosas. Objetivo: Analisar a evolução clínica de indivíduos que realizaram o tratamento da leishmaniose tegumentar americana (LTA) no estado do Acre, no período de 2007 a 2015. Método: Trata-se de um estudo transversal, descritivo, retrospectivo analítico e epidemiológico, com abordagem quantitativa, que utilizou Sistema de Informação de Agravos de Notificação (SINAN). Resultados: Foram notificados 9.940 casos de Leishmaniose no estado do Acre no período de 2007 a 2015, e esses casos de Leishmaniose Tegumentar foram analisados e apresentaram as seguintes evidencias: não há evidências de associação entre a proporção de cura e sexo (p = 0,814), há evidências de associação entre área e proporção de cicatrização (LTA) (p = 0,010), sendo a proporção de curas menores no campo, também há evidências de associação entre escolaridade e proporção (p <0,001), sendo maior a taxa de cura em indivíduos com ensino superior, quanto à evolução dos casos e a faixa etária Há evidências de Associação e a proporção (p <0,001), com a proporção de cura é menor entre os indivíduos com 60 anos ou mais e há evidências de associação entre a proporção de cura e a forma clínica (p <0,001), sendo a proporção de cicatrização maior na forma cutânea. Conclusão: Determinantes sociais como baixa escolaridade, morar na zona rural e idade estão relacionados a uma proporção menor de cura em relação aos óbitos e abandono do tratamento.

Palavras-chave: Leishmaniose. Evolução clínica. Doenças negligenciadas.

Texto completo:

PDF

Referências


Neves, D. P., et al. Parasitologia Humana. In: American Cutaneous Leishmaniosis - 12. Ed. - São Paulo (SP): Editora Atheneu, 2011. p. 49-65. Capítulo 8.

Organização Mundial da Saúde (OMS). Kit de ferramentas de monitoramento e avaliação para pulverização residual interna. Eliminação de Kala-azar em Bangladesh, Índia e Nepal. [Manual na Internet]. [Acesso em 10 de setembro de 2018]. Organização Mundial da Saúde (OMS); 2010. 55p. Disponível em: http://www.who.int/tdr/publications/documents/irstoolkit.pdf. Acesso em 24 fev. 2021.

Ferreira, C. C.; Marochio, G.G, Partata A. K. Estudo sobre leishmaniose tegumentar americana com enfoque na farmacoterapia. Revista Científica do ITPAC, Araguaína (TO) [Internet]. 2012 [citado em 02 de julho de 2018]; Fora. v.5, n.4. 01-9. Disponível em: http://www.itpac.br/arquivos/Revista/54/1.pdf. Acesso em 02 fev. 2021.

BRASIL. Doenças por negligência: estratégias da Secretaria de Saúde do Ministério da Saúde Ciência e Tecnologia, Secretaria de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos, Ministério da Saúde. Rev Health Public [Internet] 2010].

NASCIMENTO, B. W. L. Estudo de Flebotomíneos (Diptera: Psychodidae) na cidade de Divinópolis, Minas Gerais, Brasil. [Dissertação de mestrado]. [Belo Horizonte (MG)]: Fundação Oswaldo Cruz, (Centro de Pesquisas René Rachou): 3013. 105p.

BRASIL. Ministério da Saúde (MS). Departamento de Vigilância Epidemiológica. Manual de Vigilância da Leishmaniose Cutânea Americana. [Manual na Internet]. [acesso a 02 de novembro de 2018]; Brasília DF); 2007. - 2. ed. atual. 182p. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/manualvigilancialeishmaniose2ed.pdf. Acesso em 15 de fev. 2021.

BRASIL. Ministério da Saúde (MS). Manual de Controle da Leishmaniose Tegumentar Americana/Organização: Manejo Técnico de Doenças Transmissíveis por Vetores e Antropozoonoses. - Coordenação de Vigilância Epidemiológica - Centro Nacional de Epidemiologia. Fundação Nacional de Saúde. [Manual na Internet]. [acesso em 22 de setembro de 2018]; Brasília (DF); 2000. 62p

SILVA, J. S. H. A., et al. Descrição dos registros repetidos no Sistema de Informação de Notificações de Lesões, Brasil, 2008-2009. Epidemiologia e Serviços de Saúde 2016; 25 (3): 487.

SANTOS, J. B.; MARCHI, P. G. F., SILVA A. L. F. Leishmaniose tegumentar humana americana e leishmaniose visceral humana no município de Pontal do Araguaia - Mato Grosso. Revista Eletrônica da UNIVAR. 2016 vol. 15 (1): 59-64.

BRASIL. Ministério da Saúde (MS). Departamento de Vigilância Epidemiológica. Manual de Vigilância da Leishmaniose Cutânea Americana. [Manual na Internet]. 2013. 180p.

BRASIL. Ministério da Saúde (MS). Departamento de Vigilância Epidemiológica. Doenças infecciosas e parasitárias: guia de bolso. [Manual on the Internet] 2010 [Cited 2018 Set 22] - 8. ed. revisado. - Brasília (DF). 444p.

LEITE, A. I.; ARAÚJO, L. B. Leishmaniose visceral: aspectos epidemiológicos relacionados aos óbitos em Mossoró (RN). Rev. Patol. Trop. [Internet].2013 42 (3): 301-8.

BRASIL. Ministério da Saúde (MS). Secretaria de Vigilância Sanitária. Departamento de Vigilância de Doenças Transmissíveis. Manual de recomendações para diagnóstico, tratamento e acompanhamento de pacientes com coinfecção leishmania - HIV. - 1. ed., Revisado. e ampl. - Brasília (DF); 2015. 109p

GOMES, J. S., et al Importância da técnica da reação em cadeia da polimerase (PCR) no diagnóstico específico da leishmaniose tegumentar americana. [Internet] 2015 [citado em 22 de setembro de 2018]; Vol.8 n. 20 de setembro, 337-349.

SILVA, L. M. V; CUNHA; A,B, O Acessibilidade aos serviços de saúde em um município do Estado da Bahia, Brasil, em plena gestão do sistema. Cafajeste. Saúde Pública, Rio de Janeiro [Internet] 2010 [Cited 2018 Out 22], 26 (4): 725-737..

RODRIGUES, A. M, et al. Fatores associados à falha no tratamento da leishmaniose cutânea com antimoniato de meglumina. Uberaba (MG). Rev. Soc. Bras. Med. Trop. [Internet]. 2006 [citado em 17 de julho de 2018]; Março-abril; 39 (2): 139-45.

BRASIL. Censo Demográfico 2010. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Atlas do censo demográfico 2010/IBGE. [Manual na Internet].. Rio de Janeiro - (RJ); 2013. 160 p.

WSA. Aspectos clínicos, epidemiológicos e laboratoriais da leishmaniose tegumentar americana em hospital de referência em Teresina, Piauí. [Dissertação de mestrado]. [Rio de Janeiro (RJ)]: Fundação Oswaldo Cruz (FIOCRUZ) 2015. 77p.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Associado à ABEC