ESTRESSE OCUPACIONAL DEVIDO À SOBRECARGA DE TRABALHO DOS ENFERMEIROS: SCOPING REVIEW

Deuzenir Ribeiro da Silva Lopes, Fabricia de Souza Ferreira, Katiussy Asmin Medeiros Honorato, Jair Alves Maia, Ráyssan Cristina Ferreira de Araújo, Aylana de Souza Belchior

Resumo


Introdução: As atividades de Enfermagem são cada vez mais complexas e quando isso se soma a uma jornada de trabalho excessiva ou sobrecarga contribui para que haja alterações na qualidade da assistência. Objetivo: Descrever o estresse ocupacional devido à sobrecarga de trabalho dos enfermeiros. Método: Trata-se de uma revisão Scoping Review, baseado nos procedimentos recomendados pelo Instituto Joanna Briggs. Foram realizadas buscas em 3 bases de dados: Scientific Eletronic Library Online, Base de Dados em Enfermagem e Literatura Latino-Americana e do Caribe em Ciências da Saúde. Resultados: Os enfermeiros assumem diversos papéis e funções, incluindo assistência direta ao paciente. Também são responsáveis pela gerência do cuidado, que envolve o desempenho articulado de atividades assistenciais e gerenciais, a previsão e provisão de recursos materiais, dimensionamento de pessoal, liderança da equipe de trabalho e coordenação do processo assistencial. Em função dessas atribuições, o enfermeiro assume posição de destaque na equipe de saúde, o que lhe permite desenvolver estratégias que potencializam o trabalho em equipe e a organização do ambiente assistencial visando à qualidade do cuidado prestado. Em razão disso, o trabalho exercido pelo enfermeiro é considerado como uma atividade de grande vulnerabilidade ao estresse. Conclusão: A melhoria da assistência prestada pelos enfermeiros e técnicos de enfermagem está relacionada a investimentos para aumentar o número de profissionais da equipe, a fim de acompanhar a demanda encontrada nos hospitais e alcançar o ideal na relação profissional/paciente/carga horária.

Palavras-chave: Enfermagem. Estresse Ocupacional. Enfermagem em Emergência.


Texto completo:

PDF

Referências


PEREIRA, Assunção Leonardo; MENEZES, Alcântara Fernanda. Análise de fatores depressivos no trabalho do enfermeiro na área de psiquiatria. Revista SUSTINERE, Rio de Janeiro, v. 3, n. 2, p.178-190, jul-dez, 2015.

LEE, S.; MCCANN, D.; MESSENGER, J. C. Duração do Trabalho em Todo o Mundo: Tendências de jornadas de trabalho, legislação e políticas numa perspectiva global comparada, Secretaria Internacional de Trabalho. Brasília: OIT; 2019.

DALRI, R. C. M. B.; SILVA, L. A.; MENDES, A. M. O. C.; ROBAZZI, M. L. C. C. Carga horária de trabalho dos enfermeiros e sua relação com as reações fisiológicas do estresse. Revista Latino-Americana de Enfermagem, v.22, n.6, 2014.

STACCIARINI, J. M.; TRÓCCOLI, B. T. O estresse na atividade ocupacional do enfermeiro. Revista Latino-Americana de Enfermagem, v.9, n.2, p.17-25, 2011.

NORONHA, I. M. W. O livre acesso à informação científica em doenças negligenciadas: um estudo exploratório. 2011. Dissertação (Mestrado em ciência da informação) - Instituto de arte e comunicação social, Universidade Federal Fluminense, Niterói-RJ, 2011.

SANTANA, R. S.; FONTES, F. L. L.; MORAIS, M. J. A.; COSTA, G. S.; SILVA, R.K.; ARAÚJO, C. S.; SILVA, A. L. B.; PEREIRA, R. I. N. Estresse ocupacional dos enfermeiros de urgência e emergência de um hospital público de Teresina (PI). Revista Brasileira Medicina do Trabalho, v.17, n.1, p. 76-82, 2019.

SILVA, P. N.; SILVA, A.; FREITAS, V. M.; KATAGIRI, S.; ROCHA, I. C. Autopercepção do estresse ocupacional na equipe de enfermagem de um serviço de emergência. Journal Health NPEPS, v.4, n.2, p. 357-369, 2019.

TEIXEIRA, G. S.; SILVEIRA, R. C. P.; MININEL, V. A.; MORAES, J. T.; RIBEIRO, I. K. S. Qualidade de vida no trabalho e estresse ocupacional da enfermagem em unidade de pronto atendimento. Texto e contexto Enfermagem, v.28, e.20180298, p. 1-14, 2019.

ANGELIM, R. C. M.; ROCHA, G. S. A. Produção científica acerca das condições de trabalho da enfermagem em serviços de urgência e emergência. Revista de Pesquisa Cuidado é Fundamental Online, v.8, n.1, p. 3845-3859, 2016.

SANTOS, E. V; QUITÉRIO, L. M; NOVARETTI, M. C. Z; GALLOTTI, R. M. D. Sobrecarga de trabalho da Enfermagem e incidentes e eventos adversos em pacientes internados em UTI. Revista Brasileira de Enfermagem, v.67, n.5, 2014.

SOUSA, B. V. N.; TELES, J. F.; OLIVEIRA, E. F. Perfil, dificuldades e particularidades no trabalho de profissionais dos serviços de atendimento pré-hospitalar móvel: revisão integrativa. Revista Eletrônica Enfermería Actual en Costa Rica, v.0i, n.38, 2020.

CARVALHO, A. E. L.; FRAZÃO, I. S.; SILVA, D. M. R.; ANDRADE, M. S.; VASCONCELOS, S. C.; AQUINO, J. M. Estresse dos profissionais de enfermagem atuantes no atendimento pré-hospitalar. Revista Brasileira de Enfermagem, v.73, n.2, p. 1-6, 2020.

OLIVEIRA, E. B.; GALLASCH, C. H.; JUNIOR, P. P. A. S.; OLIVEIRA, A. V. R.; VALÉRIO, R. L.; DIAS, L. B. S. Estresse ocupacional e burnout em enfermeiros de um serviço de emergência: a organização do trabalho. Revista de Enfermagem UERJ, v.25, n. e28842, p. 1-7, 2017.

MARTINS, L. M. M. Assistência de enfermagem a pacientes com desordem bipolar e sentimentos da estudante de enfermagem: estudo de caso. Rev. esc. enf. USP. São Paulo, v.33, n.4, 2019.

BRASIL. MINISTÉRIO DA SAÚDE. O campo da saúde do trabalhador e o papel dos profissionais de saúde na atenção à saúde dos trabalhadores. In: Dias E.C.D., org. Doenças relacionadas ao trabalho: manual de procedimentos para os serviços de saúde. Brasília: Editora MS, 2001, p. 17-26.

PAREDES, N. P; MIASSO, A. I; TIRAPELLI, C. R. Consumo de benzodiazepinos sem prescrição médica entre estudantes do primeiro ano da Escola de Enfermagem da Universidade de Guayaquil, Equador. Revista latinoamericana de enfermagem. Ribeirão Preto, v.16 (especial), mai-jun, 2008.

PORTO, J. A. Depressão: Conceito e Diagnostico. Revista brasileira de psiquiatra. São Paulo, v.21, n.1, 2006.

RODRIGUES, C. S, DENISE. Modelo Demanda-Controle e estresse ocupacional entre profissionais de enfermagem: revisão integrativa. Revista brasileira de enfermagem. Brasília, v.66, n.5, p.779-788, set-out, 2013.

SILVA, M. C. F; FUREGATO, A. R. F; JÚNIOR, M. L. C. Depressão: Pontos de vista e conhecimento de enfermeiros da Rede Básica de Saúde. Revista latino-americana de enfermagem. Ribeirão Preto, n.11, p.7-13, 2003.

SKOREK, J.; SOUZA, R. A.; BEZERA, R. M. Síndrome de Burnout em enfermeiros atuantes em uma Unidade de Terapia Intensiva. Revista de enfermagem da Universidade Federal de Pernambuco. Recife. v. 8 n.7., p. 1841-1847, jul. 2014


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Associado à ABEC