ENFERMAGEM ESCOLAR: UMA ALTERNATIVA VIAVEL?

Andréia Fontinele da Costa, Ana Crysna do Vale Lopes, Elza Santos da Silva, Ruth Silva Lima da Costa

Resumo


Na sociedade atual, a escola tem um papel primordial na formação do ser humano, frente a todas as áreas do conhecimento. Destaca-se a importância da interação entre  equipe da  escola com os profissionais de saúde, sendo que a atuação desses últimos, pode contribuir para uma melhor qualidade de vida através das ações de educação em saúde a serem realizadas no ambiente escolar. Objetivo: identificar através da literatura,  a viabilidade da implantação de atendimentos de enfermagem no âmbito escolar. Métodos: Trata-se de um estudo descritivo de revisão integrativa da literatura, que buscou informações em fontes secundarias, através de artigos publicados dentro da temática em bases de dados oficiais no período de 2010 a 2020. Resultados: Foram identificados 10 estudos que atenderam aos critérios de inclusão instituídos. Esses estudos ressaltaram que a presença do profissional enfermeiro é fundamental no ambiente escolar, pois poderá atuar frente aos processos de promoção e prevenção à saúde, oferecendo suporte aos profissionais da educação frente a demandas de ordem assistencial, além de garantir ações continuadas de educação em saúde na rotina escolar. Considerações Finais: A escola pode  representar  sim um campo de atuação para o profissional enfermeiro, que poderá contribuir de inúmeras formas, dentro desse contexto, para uma melhor qualidade de vida e saúde dos frequentadores desse espaço. 

Palavras-chave: Serviços de enfermagem escolar. Promoção a saúde escolar. Educação em saúde.


Texto completo:

PDF

Referências


CASEMIRO, J. P., FONSECA, A. B. C., SECCO, F. V. M. Promover saúde na escola: reflexões a partir de uma revisão sobre saúde escolar na América Latina. Ciência & saúde coletiva, v. 19, p. 829-840, 2014.

SILVA, K. L et al. Promoção da saúde no programa saúde na escola e a inserção da enfermagem. Revista mineira de enfermagem, Minas Gerais, v. 18, n. 3, p. 614, jul./set 2014.

GALDINO, A., VIAMONTE, L. A importância do enfermeiro no ambiente escolar: visão dos educadores. Porto Velho, 2019. Monografia (enfermagem) - Centro Universitário São Lucas.

ASSUNÇÃO, M. L et al. Educação em Saúde: a atuação da enfermagem no ambiente escolar. Revista de enfermagem UFPE. v. 11, n. 1, p. 1-8, 2020.

GIJSEN, L. I. P. S., KAISER, D. E. Enfermagem e Educação em saúde em escolas no Brasil: Revisão integrativa da literatura. Ciência cuidado saúde, Porto Alegre, v. 12, n. 4, p. 13, out/dez 2013.

ALVARENGA, W. A et al. Ações de educação em saúde realizadas por enfermeiros na escola: a percepção dos pais. Revista mineira de enfermagem, v. 16, n. 4, p. 522, 2012.

ROSA, E. F. et al. Considerações sobre a enfermagem na saúde escolar e suas práticas educativas. HOLOS, v. 5, p. 360-369, 2017.

RASCHE, A. S., SANTOS, M. S. S. Enfermagem escolar e sua especialização: uma nova ou antiga atividade. Rev. bras. enferm. Brasília, v. 66, n. 4, p. 607-610, Aug. 2013.

DE LIMA, K.Y. N. et al. Assistência de enfermagem ao adolescente no âmbito escolar: uma pesquisa documental. Revista Enfermagem UERJ, v. 22, n. 2, p. 226-232, 2014.

CESÁRIO, N. C. M., DA COSTA, R. J. V., PEREIRA, J. T. O enfermeiro no ambiente escolar: práticas educativas atuais e eficazes. Revista Tecer, v. 7, n. 12, 2014.

OLIVEIRA R.S. et al. Atuação do enfermeiro nas escolas: desafios e perspectivas. RGS. v.10, n.2, p.10-22. 2018.

LIMA, L. S. et al. Atuação de enfermeiros em espaços escolares. Ciência, Cuidado e Saúde, v. 18, n. 2, 24 jun. 2019

SILVA, et al. Atuação do enfermeiro na promoção da saúde escolar. II Congresso brasileiro interdisciplinar na promoção da saúde. UNISC, Universidade de Santa Cruz do Sul, RS. {Dissertação de Mestrado}. 2016

COSTA, G. M., FIGUEREDO, R. C., RIBEIRO, M. S. A importância do enfermeiro junto ao PSE nas ações de educação em saúde em uma escola municipal de Gurupi–TO. Rev Científ ITPAC, v. 6, n. 2, 2013.

PIRES, L.M et al. A enfermagem no contexto da saúde do escolar: revisão integrativa da literatura. Revista de enfermagem UERJ, Rio de Janeiro, v. 20, p. 668, jan. 2012

BRASIL. Ministério da Saúde. Programa Saúde na Escola (PSE), Brasilia,2010.

OLIVEIRA D.L. A enfermagem e suas apostas no autocuidado: investimentos emancipatórios ou práticas de sujeição?. Revista brasileira enfermagem. v. 64, n. 1, p. 85-88. 2011.

CASTANHA V. et al. Concepções de saúde e educação em saúde: um estudo com professores do ensino fundamental. Revista enfermagem UERJ, v. 25, p. 12394, 2017.

BRASIL. Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros curriculares nacionais: introdução aos parâmetros curriculares nacionais / Secretaria de Educação Fundamental. – Brasília: MEC/SEF, 1997. 126p

LIMA, L.S. et al. Atuação do enfermeiro em espaços escolares. Ciências cuidados saúde, Porto Alegre, v. 18, n. 2, abri/jun. 2019.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Associado à ABEC