PROBLEMAS URBANOS E CONFLITOS SOCIAIS: OS CONFLITOS CAUSADOS PELOS AGENTES PROMOTORES DO ESPAÇO URBANO NA CIDADE DE RIO BRANCO (AC) E PORTO VELHO (RO)

Soad Farias Franca, Claudio Roberto da Silva Cavalcante, Antonio Marcos Costa da Silva, Fredy Bader Pinheiro, Jessica Santana Ferreira, Reinaldo Maia Siqueira, Thiago Henrique Lopes Rodrigues, Willyan Fernandes Dias

Resumo


Introdução: As cidades de Rio Branco e Porto Velho tiveram suas origens a partir de aglomerações às margens dos rios Acre e Madeira, respectivamente. Os dois tipos de ocupação, tanto de Rio Branco, capital do Estado do Acre, como de Porto Velho, capital do Estado de Rondônia, geraram um processo de expansão de forma desordenada; a partir do centro gerou-se a periferia. O núcleo central concentra as funções sociais, comerciais e de serviços, e as zonas periféricas comportam o adensamento das residências populares imbuídas de conflitos sociais e espaciais. Objetivo: O presente artigo visa identificar e analisar a ação dos agentes sociais e suas relações na configuração do espaço urbano das duas cidades, de forma a explicar a maneira em que esses agentes influenciaram na configuração espacial de ambas as capitais. Método: Utilizar-se-á uma análise espacial dos problemas urbanos e dos conflitos sociais nas cidades de Rio Branco e Porto Velho, a partir da produção e reprodução do espaço urbano pelos agentes sociais, ao longo do processo de urbanização e consolidação da estrutura urbana das duas cidades, no período compreendido entre os anos de 1996 a 2016. Resultados: A expansão desordenada se deve, nesses dois casos analisados, à influência de fatores sociais, tais como: o êxodo rural na cidade de Rio Branco, devido à falta de oportunidades econômicas no interior do Estado, e em Porto Velho, devido à construção das usinas de Jirau e Santo Antônio, que demandaram um grande contingente de pessoas, provocando um crescimento populacional em busca de oportunidades de emprego e melhores condições de vida. Essa expansão gerou uma série de conflitos e problemas morfológicos urbanos causados pelos agentes produtores do espaço urbano. Considerações finais: Os conflitos causados pelos agentes promotores do espaço urbano nas cidades de Rio Branco (AC) e Porto Velho (RO) ocasionaram um complexo processo de ocupação desordenada. Fatores como a própria localização da região e a vulnerabilidade geológica também influenciaram no processo. A dificuldade de ordenamento do espaço urbano, em virtude da dinâmica da sociedade e da atuação dos agentes sociais, teve como resultado a segregação social e espacial.

 Palavras-chave: Arquitetura e Urbanismo. Espaço Urbano. Agentes Urbanos. Conflitos.


Texto completo:

PDF

Referências


FRANCA, S. F. da, Padrões Ribeirinhos de ocupação: cidades amazônicas e Rio Branco. Tese de doutorado (Arquitetura e Urbanismo) Universidade de Brasília. Brasília, 2013. Disponível em: http://repositorio.unb.br/handle/10482/14825 . Acesso em: 23 nov. 2017.

MESQUITA, M. G. G. C. de. Rio Branco, Cruzeiro do Sul e a Implantação de Rodovias. In: VALVERDE, O. A Organização do Espaço na Faixa da Transamazônica. Rio de Janeiro: IBGE, V. 2, 1989.

BARCELOS, G. da S. Cidade Imaginária e Cidade Real: Um estudo Urbanístico sobre Porto Velho a partir do plano de ação imediata de 1972. Dissertação de mestrado (Geografia) Universidade Federal de Rondônia, Porto Velho, 2015. Disponível em: http://www.mestradogeografia.unir.br/downloads/4355_giovani_barcelos_2015_reduzido.pdf. Acesso em: 23 nov. 2017.

SILVA, R. C. P. da. Qualidade de vida em Porto Velho, Rondônia: perspectivas do processo de desenvolvimento regional. Tese (Doutorado) - Universidade Federal do Pará, Núcleo de Altos Estudos Amazônicos, Belém. 2013. Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento Sustentável do Tropico Úmido. Porto Velho, 2013. Disponível em: http://repositorio.ufpa.br/jspui/handle/2011/4490. Acesso em: 23 nov. 2017.

CORRÊA, R. L. O Espaço Urbano. Editora Ática, Série Princípios, 3a. edição, 1995. p.1-16.

OLIVEIRA, L. A. P. de. O Sertanejo, o brabo e o posseiro: a periferia de Rio Branco e os cem anos de andanças da população acreana. Belo Horizonte, UFMG, 1982.

ALMEIDA, L. F. de. O Morar em Rio Branco - AC: Crescimento e Fragmentação do Espaço Urbano. In: XVI Encontro Nacional dos Geógrafos, Crise, Práxis e autonomia: espaço de resistência e de esperanças Espaços de Diálogos e práticas. Anais, Porto Alegre, 2010.

BRASIL. CENSO DEMOGRÁFICO 2014. Características gerais da população, religião e pessoas com deficiência. Rio de Janeiro: IBGE, 2014. Acompanha 1 CD-ROM. Disponível em: http://www.ibge.gov.br/home/estatistica/populacao/estimativa2014/estimativa_dou.shtm. Acesso em: 06 mai. 2017.

CAMPOS FILHO, C. M. Reinvente seu bairro. Caminhos para você participar do planejamento da sua cidade. São Paulo: editora 34 Ltda., 2003.

LYNCH, K. A Imagem da Cidade. São Paulo: Martins Fontes, [1960] 1999.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Associado à ABEC