RECORTES DAS ABORDAGENS E REABILITAÇÃO PROPRIOCEPTIVA: REVISÃO BIBLIOGRÁFICA NARRATIVA

Jéssica Boaventura de Oliveira, Dauana Bomfim França, Édila Vieira Batista, Sarah Souza Pontes

Resumo


Introdução: A diminuição da acuidade proprioceptiva leva o indivíduo ao seu declínio funcional. É de suma importância o controle muscular devido à participação na resposta protetora. Apesar de o treino proprioceptivo ser popularmente conhecido a negligência nos programas de reabilitação pode refletir no risco de recidivas de lesões. Este estudo visa beneficiar a comunidade científica e os profissionais que utilizam este treino em sua abordagem clínica. Objetivo: Revisar na Literatura as abordagens do treino proprioceptivo e programas de reabilitação propostos. Método: Trata-se de uma revisão bibliográfica narrativa, cuja temporalidade foi do período de outubro de 2016 a janeiro de 2018, através dos seguintes descritores e suas combinações nas línguas portuguesa e inglesa: Propriocepção. Proprioceptivo. Reabilitação. Bases descritas: Scielo, Bireme, Pubmed, PEDro, Cochrane Library, Clinicaltrials e Revistas indexadas com ênfase no tema proposto. Resultados: Dos materiais coletados, 10 artigos foram selecionados. Com relação aos anos dos artigos publicados, compreendem entre: 2009 e 2016, totalizando 10 estudos clínicos. Conclusão: Os exercícios proprioceptivos demonstram grande eficácia no restabelecimento de déficits originados de lesões musculoesqueléticas. Em contrapartida, ainda não há um consenso acerca dos métodos avaliativos, tratamento e medidas profiláticas.

 Descritores: Propriocepção. Proprioceptiva. Reabilitação


Texto completo:

PDF

Referências


REFERÊNCIAS

ELLENBECKER, T. Reabilitação dos ligamentos do joelho, São Paulo: Ed. Manole, 2002.

WESTLAKE, K; WU, Y; CULHAM, E. Sensory-specific balance training in older adults: effect on position, movement, and velocity sense at the ankle. PhysTher. 2007;87(5):560-8.

LUNDY-EKMAN, L. Neurociências: fundamentos para reabilitação, São Paulo: Elsevier; 2008. p. 89-166.

BARRACK, R. et al. Effect of articular disease and total knee arthoplasty on knee joint-position sense. J Neurophysiol. 1983;50(3):684-7.

BARRET, S; COBB, A; BENTLEY, Y. Joint proprioception in normal, osteoarthritic and replaced knees. J Bone Joint Surg Br. 1991;73B(1):53-6.

DESHPANDE, N. et al. Reliability and validity of ankle proprioceptive measures. Arch Phys Med Rehabil. 2003;84(6):883-9.

PINTO, A; MEJA, D. Eficácia dos exercícios para controle neuromuscular no processo de reabilitação de atletas jovens; Pós-graduação em reabilitação em ortopedia e traumatologia com ênfase em terapia manual – Faculdade Ávila, Goiânia-GO; 2010.

PERES, M. et al. Efeitos do treinamento proprioceptivo na estabilidade do tornozelo em atletas de voleibol, RevBrasMed Esporte; 2014. Vol. 20, N. 2.

LAMB, M. et al. Efeito do treinamento proprioceptivo no equilíbrio de atletas de ginástica rítmica. RevBrasMed Esporte – 2014; Vol. 20, No 5.

HIRATA, A. OLIVEIRA, R. Protocolo de treinamento proprioceptivo para atletas de Ginástica Rítmica – GR, ConScientiae Saúde,2015, Vol.14, N.4; 634 ,14(4):634-640.

ROBBINS, S.; WAKED, E.; RAPPEL, R. Ankle taping improves proprioception before and after exercise in young men. Br J Sports Med. 1995; 29:242-7.

SIMONEAU, G. et al. Changes in ankle joint pro¬prioception resulting from strips of athletic tape applied over the skin. J Athl Train; 1997; 32:141-7.

BLACKBURN, T. et al. Balance and Joint Stability: The Relative Contribuitions of Proprioception and Muscular Strength. J Sport Rehabil. 2000;9:315-28.

SABIN, N. et al. Evaluation of knee proprioception and efects of proprioception exercise in patients with benign joint hypermobility syndrome. Rheumatol Int.2008; 8:995-1000.

KAYA, D. et al. Proprioception level after endoscopically guided percutaneous Achilles tendon. Knee Surg Sports TraumatolArthrosc. Pubmed; 2012; 21(6); 1238-44.

LEPHART, M. et al. The role of proprioception in the management and rehabilitation of athletic injuries. Am J Sports Med. 1997;25 (1):130-7.

ALONSO, A.; LUNA, N. Avaliação funcional do movimento-equilíbrio: ortopedia e traumatologia. São Paulo, 2 ed. 2010.

JIAHAN et al. Assessing proprioception: A critical review of methods. Journal of Sport and Health Science, 2014Volume 5, Issue 1, Pages 80–90.

BONFIM, T. et al. Efeito de informação sensorial adicional na propriocepção e equilíbrio de indivíduos com lesão do LCA. Acta Ortopédica Brasileira, 2009; vol. 17, núm. 5, p. 291-296.

MARTINS, N. et al. Eletromyography of the rectus femoris in different proprioceptive devices in a hydrotherapy pool. Rev Bras Med Esporte; 2014; vol.20 no.4.

CABRAL, S.; CORRÊA, S.; IGARASHI, Y. Efeito da aplicação do frio na sensação de posicionamento articular do tornozelo. Revista Paraense de Medicina; 2010, V.24 (2).

NOGUEIRA, J.; LINS, C.; SOUZA, A.; BRASILEIRO, J. Efeitos do aquecimento e do alongamento na resposta neuromuscular dos isquiotibiais. RevBrasMed Esporte – 2014; Vol. 20, N. 4.

ROSENBAUM, D.; HENNIG, E. The influence of stretching and warm-up exercises on Achilles tendon reflex activity. J Sports Sci. 1995; v.13; 481-90.

MILANEZI, F. et al. Comparação dos parâmetros de força e propriocepção entre indivíduos com e sem instabilidade funcional de tornozelo. Fisioter Pesq. 2015; v. 22(1):23-28.

ARNOLD, L. et al. Concentric evertor strength differences and functional ankle instability: a meta-analysis. J Athl Train. 2009;44(6):653-62.

PONTAGA, I. Ankle joint evertor–invertor muscle torque ratio decrease due to recurrent lateral ligament sprains. ClinBiomech (Bristol, Avon). 2004;19(7):760-2.

HARTSELL, D.; SPAULDING, J. Eccentric/concentric ratios at selected velocities for the invertor and evertor muscles of the chronically unstable ankle. Br J Sports Med. 1999;33(4):255-8. 21.

SEKIR, U et al. Effect of isokinetic training on strength, functionality and proprioception in athletes with functional ankle instability. Knee Surg Sports TraumatolArthrosc. 2007;15(5):654-64


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Associado à ABEC